sábado, 15 de maio de 2021

COMO PODE UMA PESSOA QUE JÁ FOI CONDENADA POR RACISMO COMANDAR UMA SECRETARIA TÃO IMPORTANTE COMO A SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL?

Segundo o Blog do Marco Silva, a esposa de Zé Francisco, Irene Neres, já foi condenada por racismo praticado contra as vítimas Ana Emília Moreira Santos e sua filha Antônia Mércia. 

Irene Neres agora é secretária de uma das pastas mais importante do governo, a Secretaria de Assistência Social. A Assistência Social é uma pasta para dar assistência à pessoas vulneráveis, o que é incompatível com o comportamento de Irene Neres, que não está bem adaptada a lidar com pessoas pobres e com outros tipos de hipossuficiência e vulnerabilidade.

Uma empregada pública na gestão atual lotada na Assistência Social já está até preparando um BO para registrar na Delegacia de Polícia Civil de Codó em face de Irene Neres por injúria praticada no trabalho. 

O esposo da vítima entrou em contato com nossa Redação e constatou que Irene Neres se prevaleceu da sua posição de superior hierarquia no trabalho, fato este que implica no assédio moral. Confira a matéria retirada do Blog do Marco Silva.

Esposa de Zé Francisco é condenada por racismo após ofender duas mulheres dentro da Ultra Med

Ana Emília Moreira Santos
Em Codó, segundo o IBGE, os negros são maioria, cerca de 80% da população. Apesar de muitas conquistas, ainda há preconceito contra os negros no município. Foi o que aconteceu com a senhora Ana Emília Moreira Santos e sua filha Antônia Mércia. Elas sofreram preconceito racial dentro da clínica Ultra Med, de propriedade do médico Zé Francisco.

De acordo com a denúncia feita a Justiça pelo Ministério Público do Estado do Maranhão, Irene Batista Pitombeira Neres, esposa de Zé Francisco, proferiu palavras ofensivas a cor/raça das duas mulheres codoenses.

“Essas negras estão rindo de mim. Já é negra, deveria ter era vergonha de andar com os cabelos desse jeito. Porque negro já sabe, eu que sou branca é que sou gostosa!”, teria dito Irene para as mulheres.

Uma das vítimas afirma que levou o caso ao conhecido de Zé Francisco, que teria feito pouco caso da situação e não teria tomado qualquer providência contra a esposa. Diante das ofensas, Ana Emília decidiu denunciar na Promotoria de Justiça.


A acusada argumentou a Justiça que apenas teria perguntado o motivo das duas mulheres estarem rindo e que não ofendeu elas. No entanto, os argumentos não foram aceitos pelo juiz de direito da 2ª Vara da Comarca de Codó, que condenou Irene Neres pelo crime de racismo.

A esposa de Zé Francisco teve que cumprir pena restritiva de direitos por cerca de dois anos, tendo que comparecer frequentemente à presença do juiz para justificar suas atitudes, não viajar sem autorização da justiça, entre outras obrigações da lei criminal.

Cabe destacar que o caso foi registrado em 2011 e Irene Neres já cumpriu a condenação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário