quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Padre Pedro Balzi pode se tornar o primeiro santo de Teresina; processo de beatificação é iniciado

O padre Pedro Balzi pode ser tornar o primeiro santo de Teresina. O arcebispo da capital, Dom Jacinto Brito, vai anunciar que será dado início ao processo diocesano para a causa de beatificação e canonização do religioso,  que fez importantes obras missionárias na capital. 
Embora não tenha nascido em Teresina, a Arquidiocese explica que o reconhecimento que pode culminar com a canonização do religioso nasce na capital, onde deixou como herança grande parte de sua obra e atuação pastoral.  Sua grande dedicação e testemunhos de graças após sua morte motivaram o início do processo.
“Mesmo que não tenha aceitado receber o título de cidadania, podemos considerá-lo um santo nosso! Todos sabemos que ele não gostava que sua imagem fosse levada a público ou que atribuíssem à pessoa dele qualquer homenagem. Ele sempre repetia: As obras não são minhas, mas da graça de Deus”, pontua padre Igor Torres, assistente eclesiástico da Associação Padre Pedro Balzi.
A autora da causa é a Associação Padre Pedro Balzi, erigida por Decreto diocesano em junho de 2019. Além da Arquidiocese de Teresina, o trabalho envolve outras dioceses em que o padre Pedro Balzi nasceu e desenvolveu seu ministério pastoral: Lausanne (Suíça), Bérgamo e Chioggia (Itália), La Paz (Bolívia).
 “O processo foi aberto após consulta prévia em três etapas, que envolvia a consulta aos bispos da província eclesiástica, consulta aos fiéis (feita através de um edital assinado por Dom Jacinto no dia 25 de julho) e uma última consulta, feita à Santa Sé, pedindo a abertura oficial do processo, de modo a iniciar aquilo que chamamos de fase diocesana da causa”, acrescenta o padre Igor que hoje está em Roma, na Itália.
Um processo de Beatificação e Canonização compõe-se  de duas fases: diocesana e romana, ambas sem duração definida. A etapa diocesana consiste num processo documental. Os escritos do padre e documentos históricos em torno de sua vida são reunidos e criteriosamente analisados, com um parecer conclusivo de especialistas em história e teologia. Um Tribunal constituído para a Causa vai ouvir pessoas que conheceram o padre Pedro Balzi  e registrar seus depoimentos. 
Anúncio será feito por Dom Jacinto Brito
A Arquidiocese de Teresina promove a Causa do Padre Pedro Balzi através da Associação que leva o nome do sacerdote.  Embora o processo junto demorado, a Associação Padre Pedro Balzi não desanima e espera que seja também uma oportunidade para incentivar o caminho de santidade dos fiéis em Teresina. Na teologia cristã, os santos são um convite para o seguimento de Jesus Cristo.
Conhecido como “Construtor do Amor”, Padre Pedro Balzi nasceu na Suíça e aos dez anos de idade foi morar na Itália. Antes de vir ao Brasil atuou na Bolívia, onde construiu um grande hospital. No ano de 1987, a pedido do então Arcebispo Dom Miguel Fenelon Câmara, se instalou em Teresina, com a missão de cuidar dos hansenianos, onde em pouco tempo passou a dedicar-se também a uma vasta periferia na zona sul da capital.
O missionário era admirado e respeitado por todos que com ele conviviam e teve uma vida marcada pelo acolhimento e amor aos pobres do mundo. Além do Centro para tratamento de pessoas com hanseníase (Centro Maria Imaculada, localizado na zona Norte da cidade),  construiu um complexo de escolas e assistência social, com sede na Vila da Paz  (Zona Sul), e comunidades terapêuticas no Maranhão e Piauí, a Fazenda da Paz.  Faleceu em outubro de 2009, aos 82 anos, sendo ainda pároco da Paróquia Santuário Nossa Senhora da Paz, onde foi enterrado.
cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário