sábado, 6 de abril de 2019

CODÓ: COM BLOCÃO 'LIBERTA CODÓ',NAGIB EMBORCA DE VEZ

Vereador Rodrigo fala que a conjuntura política de Codó ganha novos rumos com a promessa de um grande Blocão que promete salvar Codó.Essa é uma maneira de conseguir salvar o município de um grupo político que só pensa em manobra,em benefício de meia dúzia de pessoas ligadas ao empresário FC Oliveira.Em Codó a economia não gira livremente,porque a gestão atual monopolizou a cidade,fazendo com que os codoenses passem por grandes dificuldades,pois não há circulação de renda que surte efeitos suficientes para impactar positivamente na economia do município.

Para se ter uma ideia dessa má circulação de renda e monopolização do comércio de Codó,é que o botijão de gás chega a R$ 80,uma diferença de R$20 a mais,que na cidade de Timon,por exemplo,que ainda se encontra um botijão ao preço de R$ 60 para ir buscar na portaria.Para o vereador Rodrigo,essa é a única maneira de salvar o município de Codó,e, sem vaidade pessoal,o mais importante é resgatar Codó,que não é algo individual,essa união política será encabeçada pela verdadeira liderança,que é o povo de Codó.Para o vereador a população foi enganada por um grupo que teve como único objetivo ganhar as eleições,sem nenhum projeto para melhorar o município de Codó,para ele,a união vai salvar Codó.


É importante lembrar que a própria população se anima ao ver uma futura aliança política jamais  vista na história de Codó.Os políticos futuros membros do Blocão ressaltam que a maior liderança do blocão não são eles,e que a maior liderança do Blocão é o povo codoense,a verdadeira vítima da gestão atual.

QUEM ESTÁ NO LIBERTA CODÓ?


Sobre quem poderá compôr o Liberta Codó, citou nomes como Zé Francisco,Pedro Belo, Chiquinho do Saae, Expedito Carneiro,Ricardo Archer, Nonato Sampaio, Domingos Reis, Pedro Santos, Camilo (pai) e Biné (seu avô).
“São várias pessoas que têm boas intenções para Codó onde nós vamos conversar, vamos dialogar e achar o melhor caminho, juntos, unidos sem vaidades“, completou

Blog Impar,com informações de Acélio Trindade

Nenhum comentário:

Postar um comentário