quinta-feira, 14 de junho de 2018

Candidatura de Lula deve ser registrada pelo TSE

O ex-presidente Lula tem o direito constitucional de pedir o registro de sua candidatura a presidente, e esse pedido precisa ser recebido e avaliado pela Justiça Eleitoral; constatação foi feita nesta quinta-feira, 14, pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, e pelos advogados especialistas em Direito Eleitoral Geórgia Nunes e Ricardo Penteado; "Por que Lula não poderia apostar na sua absolvição [no processo criminal a que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do apartamento tríplex] antes do final do processo eleitoral?", questionou Penteado; "Isso seria negar ao cidadão o direito de postular algo fixado na Constituição", afirmou Dino 

Brasil 247

O ex-presidente Lula tem o direito constitucional de pedir o registro de sua candidatura a presidente, e esse pedido precisa ser recebido e avaliado pela Justiça Eleitoral; constatação foi feita nesta quinta-feira, 14, pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, e pelos advogados especialistas em Direito Eleitoral Geórgia Nunes e Ricardo Penteado; "Por que Lula não poderia apostar na sua absolvição [no processo criminal a que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do apartamento tríplex] antes do final do processo eleitoral?", questionou Penteado; "Isso seria negar ao cidadão o direito de postular algo fixado na Constituição", afirmou Dino O ex-presidente Lula tem o direito constitucional de pedir o registro de sua candidatura a presidente, e esse pedido precisa ser recebido e avaliado pela Justiça Eleitoral; constatação foi feita nesta quinta-feira, 14, pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, e pelos advogados especialistas em Direito Eleitoral Geórgia Nunes e Ricardo Penteado; "Por que Lula não poderia apostar na sua absolvição [no processo criminal a que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do apartamento tríplex] antes do final do processo eleitoral?", questionou Penteado; "Isso seria negar ao cidadão o direito de postular algo fixado na Constituição", afirmou Dino O ex-presidente Lula tem o direito constitucional de pedir o registro de sua candidatura a presidente, e esse pedido precisa ser recebido e avaliado pela Justiça Eleitoral; constatação foi feita nesta quinta-feira, 14, pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, e pelos advogados especialistas em Direito Eleitoral Geórgia Nunes e Ricardo Penteado; "Por que Lula não poderia apostar na sua absolvição [no processo criminal a que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do apartamento tríplex] antes do final do processo eleitoral?", questionou Penteado; "Isso seria negar ao cidadão o direito de postular algo fixado na Constituição", afirmou Dino O ex-presidente Lula tem o direito constitucional de pedir o registro de sua candidatura a presidente, e esse pedido precisa ser recebido e avaliado pela Justiça Eleitoral; constatação foi feita nesta quinta-feira, 14, pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, e pelos advogados especialistas em Direito Eleitoral Geórgia Nunes e Ricardo Penteado; "Por que Lula não poderia apostar na sua absolvição [no processo criminal a que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do apartamento tríplex] antes do final do processo eleitoral?", questionou Penteado; "Isso seria negar ao cidadão o direito de postular algo fixado na Constituição", afirmou Dino O ex-presidente Lula tem o direito constitucional de pedir o registro de sua candidatura a presidente, e esse pedido precisa ser recebido e avaliado pela Justiça Eleitoral; constatação foi feita nesta quinta-feira, 14, pelo subprocurador-geral da República, Nicolao Dino, e pelos advogados especialistas em Direito Eleitoral Geórgia Nunes e Ricardo Penteado; "Por que Lula não poderia apostar na sua absolvição [no processo criminal a que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do apartamento tríplex] antes do final do processo eleitoral?", questionou Penteado; "Isso seria negar ao cidadão o direito de postular algo fixado na Constituição", afirmou Dino Por 6 votos a 5, o STF decidiu nesta quinta-feira (14) impedir a decretação de conduções coercitivas para levar investigados e réus a interrogatórioPor 6 votos a 5, o STF decidiu nesta quinta-feira (14) impedir a decretação de conduções coercitivas para levar investigados e réus a interrogatório policial ou judicial em todo o país; a medida foi amplamente utilizada pelo juiz Sérgio Moro na operação Lava Jato, inclusive conta o ex-presidente Lula em março de 2016.
Portal Brasil 247 policial ou judicial em todo o país; a medida foi amplamente utilizada pelo juiz Sérgio Moro na operação Lava Jato, inclusive conta o ex-presidente Lula em março de 2016.
Portal Brasil 247r


Nenhum comentário:

Postar um comentário