quinta-feira, 17 de maio de 2018

A LUTA CONTINUA – Professores de Codó definem data de paralisação maior

Os professores de Codó reuniram-se ontem à noite, 17, na sede do SINTSERM, no bairro São Pedro. A intenção maior era ouvir a categoria sobre deflagração de greve uma vez que o governo MAIS AVANÇO, MAIS CONQUISTAS nunca se dispôs a negociar o abono vindo dos R$ 26,5 milhões de precatórios do FUNDEF.

115 educadores assinaram a lista de presença na assembleia, na hora da pergunta final apenas 2 levantaram o braço afirmando que queriam fazer greve.
Necessariamente não foi o enfraquecimento da intenção de parar por tempo indeterminado. Na realidade este posicionamento se deu após a abertura para opiniões contra ou a favor.
5 pessoas usaram o microfone, 3 foram contra a greve no momento preferindo esgotar todas as possibilidades junto ao governo municipal. Dois professores disseram sim, justificando suas razões.
Com o auxílio do advogado Agostinho Neto, os 3 contra foram mais convincentes e, por isso, na hora da votação só dois levantaram a mão, timidamente, querendo a greve.
COMO VAI SER?
Ficou decidido que nos dias 24 e 25 de maio haverá a segunda paralisação do ano, quinta e sexta-feira.
O sindicato vai comunicar, por ofício, à Câmara e ao Executivo Municipal e todos paralisarão semana que vem novamente.
Na primeira paralisação a Prefeitura chegou a entrar na Justiça para impedir, mas o juiz negou por se tratar apenas de uma paralisação e não de greve cujos efeitos negativos  em sala de aula são, realmente, maiores.
Fonte: b.acelio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário